Grupo Sucel | Fique atento as dicas do grupo Sucel sobre as normas e informações para a contratação de PCD nas empresas.
22475
post-template-default,single,single-post,postid-22475,single-format-standard,qode-quick-links-1.0,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-title-hidden,qode-theme-ver-11.0,qode-theme-bridge,wpb-js-composer js-comp-ver-5.1.1,vc_responsive

Fique atento as dicas do grupo Sucel sobre as normas e informações para a contratação de PCD nas empresas.

Desde 1991 a lei prevê que todas as empresas com cem ou mais colaboradores são obrigadas a preencher entre 2 a 5% do total de funcionários com beneficiários reabilitados do INSS ou pessoas com deficiências, nas seguintes proporções:

•  de 100 a 200 funcionários: 2%;

•  de 201 a 500 funcionários: 3%;

•  de 501 a 1000 funcionários: 4%;

• de 1001 em diante: 5%.

O processo seletivo, desde os pré-requisitos da vaga até a etapa final, deve ser planejado de maneira a garantir um processo coerente e justo, adequado às limitações e potenciais da pessoa com deficiência.

Esse sistema de cotas tem aspectos interessantes. Um deles prevê que a empresa somente pode dispensar um empregado inserido no sistema de cota se ocorrer a contratação de um substituto em condição semelhante. É bom ressaltar, também, que deverá constar no contrato de trabalho, expressamente, que a contratação do PCD é pelo sistema de cotas, de acordo com o artigo 93, da Lei 8.213/91, Lei 10.098/2000 e Decreto 3.298/99.

Atente-se à atual infraestrutura da empresa e analise se são necessárias mudanças de modo que o ambiente fique mais adequado ao trabalho e ao deslocamento dos profissionais, garantindo autonomia e segurança.

Entre as adaptações necessárias, podemos citar a construção de rampas, móveis planejados, sinalização tátil para deficientes visuais, banheiros adequados, entre outros ajustes. Um ambiente acessível está preparado para todas as situações e ajuda a torná-lo muito mais funcional, não apenas aos funcionários, como também para visitantes ou clientes.

Outro fator é a convivência. Acompanhe e oriente gestores e colegas de trabalho buscando eliminar estereótipos e discriminação. Desenvolver uma cultura de igualdade e respeito é fundamental para uma empresa mais inclusiva.

Quando são oferecidas as condições necessárias para que uma pessoa com deficiência possa trabalhar e exercer por completo o que pode, seu esforço e rendimento podem impactar positivamente o ambiente de trabalho. Se estende a uma força a mais para os companheiros de trabalho que não possuem deficiências, que tomam essas pessoas e sua produtividade como um exemplo, assim, há uma maior vontade de trabalhar em conjunto e fazer com que tudo siga em constante crescimento.

As empresas ganham em relação à humanização da gestão, enquanto a economia do país é estimulada, uma vez que mais pessoas exercem atividades remuneradas.